Óleo De Coco Emagrece E Queima Gordura Abdominal

Power Supplements (Observação)


Perder barriga é o desejo de algumas pessoas, e a alimentação costuma ter relação direta com a gordura localizada nessa localidade. Na maioria das vezes, esse acúmulo de gordura vem da ingestão de carboidratos claro, presentes em pães, massas, doces, refrigerantes e bebidas alcoólicas. Além do incômodo estético, a barriga costuma ser um fator de traço pra saúde cardiovascular. Colesterol, hipertensão arterial, diabetes e outros defeitos de saúde podem aparecer no momento em que a cintura está superior do que o indicado. Se perder barriga está em sua tabela de metas, alguns alimentos conseguem acelerar a queima de gordura e amparar por esse objetivo.


A inflamação é um dos principais responsáveis pelo ganho de peso. Peixes e frutos do mar, por serem ricos em ômega 3, um ácido graxo primordial, ajudam a desinflamar as células de gordura, atuando no controle do defeito e auxiliando a perder barriga. Também, estes alimentos bem como aceleram a transformação da glicose em energia, impedindo que ela seja estocada perante a maneira de gordura.


A inclusão desses alimentos no cardápio pode ser feita pelo menos 3 vezes por semana. Os óleos funcionais atuam no metabolismo das gorduras, aumentando a quebra da dos ácidos graxos para criação de energia e, consequentemente, diminuindo as reservas de gordura. O óleo de cártamo e o óleo de coco agem bem como na aceleração do metabolismo.


Alguns lactobacilos produzem um tipo de gordura, o CLA (ácido linoléico conjugado), que é apto de cortar o porcentual de gordura. Ademais, este tipo de alimento tem como atividade básica equilibrar a flora intestinal. Um estudo publicado em 2006 pela revista científica Nature ilustrou que as bactérias presentes pela flora intestinal de pessoas com obesidade são muito diferentes das de pessoas com peso perfeito.


04 Abdominais Perfeitos Pra Ter uma Barriga Perfeita

A descoberta sugere que a absorção inadequada de gorduras no intestino, que ocorre nas pessoas com flora comprometida, poderá estar relacionada ao ganho de peso. Os probióticos assim como beneficiam o funcionamento do intestino, reduzindo o estufamento da barriga relacionado aos gases e intestino aprisionado. Alguns exemplos de alimentos com probióticos são os iogurtes com lactobacilos.


Os integrais são repletas de fibras, que são relevantes aliadas no processo de perder barriga. O primeiro pretexto é que consumir fibras com bastante água ajuda a aperfeiçoar o trânsito intestinal, o que impossibilita que a barriga fique estufada e inchada. Além disso, alimentos ricos em fibras tendem a ter um índice glicêmico mais pequeno. Isto pelo motivo de as fibras desaceleram a absorção da glicose dos alimentos, evitando picos de glicemia e do hormônio insulina, responsável por levar o açúcar pras células.


Os carboidratos com pequeno índice glicêmico são: batata açucarado, mandioquinha, arroz integral e chia. As frutinhas vermelho-arroxeadas (framboesa, amora, morango, cereja, jabuticaba, mirtilo, melancia e uva roxa) são poderosas aliadas pra perder barriga. Existem, nas cascas destas frutas, substâncias fitoquímicas com ação antioxidante, como a antocianina, que mantém o sistema circulatório eficiente, melhorando a irrigação dos tecidos e ajudando pela queima de gordura abdominal.




  • 4 - Famadihana

  • Perder Barriga Em 2 Dias
  • Mude seus condimentos

  • sete Coisas Pra Perder calorias Na Manhã - Quais e Proveitos

  • um ovo


É recomendado o consumo de uma ou duas xícaras por dia, sem adição de açúcar. O gengibre é um alimento termogênico, o que ajuda a acelerar o metabolismo e aumentar a queima de gordura, sendo um ótimo apoio ao projeto perder barriga. O gingerol, composto principal, faz funções antioxidantes, antifúngicas, anti-inflamatórias, inibe a agregação das plaquetas evitando o aparecimento de trombos.


A quantidade indicada de gengibre são duas fatias pequenas por dia. Quer dizer o suficiente para se ter o efeito termogênico. Uma busca praticada pelo Instituto Salud Carlos III, da Espanha, em parceria com o colégio de Cambridge, da Inglaterra, sinaliza que a ingestão diária de azeite impossibilita a criação de gorduras na localidade da cintura.



Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *